Próteses Fixas e Cerâmicas

1 – O que é Prótese Fixa?

»É uma estrutura dentária, produzida em laboratório, por um técnico de prótese devidamente especializado. Sendo constituída por um ou mais pilares e pônticos, sendo os pilares os dentes vizinhos e os pônticos os dentes em falta.

 

2 – Como é constituída?

» A constituição duma Prótese Fixa pode ser de metal, metal cerâmica, cerâmica, acrílico, compostos de resina e mais recentemente de alumínia e cerâmica. Conforme o local a instalar a Prótese Fixa assim o dentista elegerá o material componente. As Próteses Fixas provisórias são sempre elaboradas em acrílico ou resina composta e são de carácter provisório para manutenção de espaço e função provisória de mastigação e oclusão.

 

3 – Para que serve?

» Serve para substituir dentes perdidos e restabelecer a função mastigatória dentária de forma a manter o equilíbrio oclusal, funcionando como dentes naturais substituindo as vulgares próteses removíveis ou “ dentaduras “.

 

4 – Como funciona?

» Utilizando um ou mais dentes contíguos ao espaço dos dentes perdidos como pilares a estrutura é elaborada pelo técnico de prótese, através de modelos previamente efectuados directamente no paciente e cimentada nesses pilares que funcionará em substituição dos dentes naturais.

 

5 – Quais os cuidados a ter com a Prótese Fixa?

»Tal como os dentes naturais necessitam de cuidados permanentes de higiene, os dentes que suportam a Prótese Fixa “Pilares” tem necessidade de cuidados redobrados.

Se em condições naturais os dentes são afectados por cáries, doenças paradontais, “doenças das gengivas e osso de suporte”, esforços de sobreoclusão, Bruxismos “ranger dos dentes”, etc. Os dentes pilares vão suportar o trabalho que lhes pertencia mais o esforço dos dentes pônticos. Assim se um pilar antes na sua função suportava uma carga de certa pressão passará a suportar uma carga maior. No entanto a natureza também compensa de certa forma esse déficite.Assim os cuidados terão de ser maiores no que respeita á higiene.

 

6 – Como se deve higienizar a Prótese Fixa?

Escova – A escovagem devidamente orientada deve efectuar-se no sentido de cima para baixo nos dentes superiores e de baixo para cima nos dentes inferiores. Nunca na horizontal. De forma que os nylons da escova com uma certa pressão, entrem nos espaços e removam os resíduos alimentares, massagem as gengivas e eliminem a placa bacteriana dos sulcos e papilas gengivais.

Fio Dental – Utilizar sempre fio dentário em suporte de agulha própria ou “passa-fios” para passar debaixo dos pônticos e no espaço mais crítico da Prótese Fixa na ligação da coroa do pilar e o pôntico.

Escovilhão – Utilizar o escovilhão que existe no mercado na versão de fino, extra fino ou normal, conforme o espaço de acesso. É um instrumento fundamental que serve para retirar a placa bacteriana e resíduos alimentares mais aderidos e massajar a papila e sulcos gengivais.

Jacto de água – aparelho electrodoméstico que está munido de um reservatório de água e que ligado á corrente injecta água à pressão por debaixo da prótese fixa, eliminando alguns resíduos que eventualmente não tenham sido removidos com a escova, fio dental ou escovilhão.

 

7 – Quanto Tempo dura uma Prótese Fixa?

» A longevidade de uma Prótese Fixa está mais relacionada com os cuidados de higiene que o paciente lhe dispensa. A estrutura de uma Prótese Fixa é quase inalterável dada a sua composição e dureza. Se a higiene for deficiente e a cárie atacar os pilares toda a estrutra se perderá por falência dos pilares. A sua duração pode ir de meses a dezenas de anos. A falência ou perda dos pilares está sempre relacionada com cáries, processos inflamatórios paradontais ou hábitos parafuncionais tais como:

– tiques da língua ou roer as unhas
– bruxismo
– esforço de pilares por grandes pressões localizadas
– mordidas de objectos anómalos na comida
– abertura de garrafas e outro objectos com os dentes, etc.

 

8 – Falta de control de 6/6 meses pelo dentista?

» Se consultar o dentista de 6 em 6 meses ele saberá alertar o paciente para os riscos que poderá ocorrer.

 

9 – É necessário substituir a Prótese Fixa?

» Sim, tal como nos dentes naturais a retracção gengial com a idade é um factor irreversível nos pacientes portadores de Próteses Fixas.Também acontece porque a própria natureza e constituição humana assim determina com a evolução do envelhecimento natural. A substituição prende-se com a rapidez da retracção gengival. Normalmente quando a higiene é eficiente poderá ser substituída de 8 a 10 anos. Embora haja casos de substituição com 15/20 anos. Nos homens apartir dos 40 anos a retracção gengival poderá dar-se mais rapidamente devido ao processo de reabsorção paradontal próprio dos homens daí que os cuidados deverão ser ainda maiores. Nas mulheres esse processo paradontal é mais lento até aos 50 anos acelerando na menopausa devido muitas vezes á disfunção de fixação da cálcio levando á osteoporose.

 

10 – Quando não tem dentes também se pode ter Próteses Fixas?

» Sim, desde tempos mais remotos que o ser humano teve e tem probabilidade de perder dentes. Também o ser humano tentou desde esses tempos substituir os dentes perdidos, ou por estética ou por função. Conhecem-se dentaduras fabricadas de todo o tipo de material: Madeira, Marfim, Metal (ouro e cobre). Com o aparecimento das resinas polimerizáveis por cozedura ou catalizadores apareceu a nova era dos artefactos para a substituição dos dentes. A técnica foi evoluindo assim foram aparecendo as mais diversas formas de substituição dos dentes. Há mais de cinco mil anos, foram descobertas em túmulos,dentaduras em madeira cravejados com marfim na posição dos dentes na China.

– Com a evolução dos metais iniciou-se a era de fazer próteses de cobre e ouro.
– Veio a época das resinas, cerâmicas e metais mais leves e com maior dureza para fabricar Próteses Fixas e removíveis.

Actualmente com a colaboração da Engenharia Biomateriais descobriu-se o Titânio dental Biocompatível para se fazerem Implantes. Actualmente há milhões de seres humanos portadores de Implantes que sem utilizar os dentes naturais como pilares são perfeitamente tolerados pelo organismo funcionando no lugar dos dentes dada a sua Biocompatibilidade e facilidade de colocação.

 

11 – Em conclusão

Para uma maior longevidade duma Prótese Fixa devem seguir-se os seguintes conselhos:
1 – Escova os dentes sempre que tomar uma refeição
2 – Utilizar escova, fio dental, escovilhão, e jacto de água todos os dias
3 – Consulta de rotina de 6/6 meses
4 – Sempre que uma gengiva ou papila sangre é um alarme de que de que a higiene não está bem.
5 – Não comer doces fora das refeições ou se o fizer lavar os dentes logo de seguida, a presença de açucares na boca com a flora microbina existente elaboram-se ácidos que propriciam a cárie e reabsorções ósseas e dentárias que podem levar á falência dos pilares.
6 – Se tem próteses fixas superiores e inferiores deve aceitar o conselho do dentista para dormir com uma goteira de protecções afim de evitar a fricção entre as cerâmicas que correm o risco de fracturarem.
7 – Nunca, mas nunca se deite por mais sono que tenha sem lavar os dentes! Durante o dia comemos, bebemos, falamos, a própria alimentação ajuda a higiene. Durante a noite a nossa boca é uma potencial estufa de reprodução de micróbios se houver alimentos que entrem em putrefacção ajudará a duplicação dessa flora a reproduzir-se.

 

Dr. Olívio Lopes Dias