Branqueamento Dentário

Quando o ser vivo nasce trás consigo uma série de padrões genéticos que lhe são atribuídos pela natureza. A cor da pele, a estatura, o comportamento, etc, são factores genéticos que dificilmente são passíveis de alterar. A cor dos dentes é “ sue genesés “ ou seja nasce com o indivíduo. A sua alteração pode provocar alterações a nível do esmalte dentário irreversíveis.

Embora actualmente haja técnicas de branqueamento menos inofensivas o seu uso frequente provoca uma desmineralização e consequente enfraquecimento.

O uso de branqueadores deve ser moderado. Desde o uso de água oxigenada, de alto volume, à carbamida e até “ laser “ evolui-se muito, sendo o “ laser “ possivelmente o que menor danos causa ao esmalte dos dentes.

O candidato ao branqueamento dentário deve primeiro que tudo perguntar ao dentista, sendo informado dos efeitos benéficos e maléficos do tratamento. O único benefício que se conhece no tratamento é a estética.

 

Dr. Olivio Dias
Dra. Marta Dias